segunda-feira, 1 de outubro de 2007

E QUERIAM VER-ME TOUREAR A CAVALO...



A minha entrada no Ribatejo, em 1951, e dada a minha juventude de 23 anos, foi repleta de experiências trágico-cómicas e que tenho vindo a descrever deste há alguns anos, neste Blog.

No mundo exterior a esta região agrícola, só se sabia que era terra de sezões, e quando os amigos souberam que eu estava destinado a vir viver para Benavente, até me deram as condolências... mas, felizmente, essa época das sezões, já tinha sido ultrapassada há muito e sob controlo dum médico que cá se radicou muitos anos, o Dr. Fonseca.

Entrar nestes lados, Samora Correia, Benavente, S. Estevão, e Salvaterra de Magos, era uma odisseia, porque só se podia cá entrar por barco em Vila Franca de Xira, dado não haver qualquer ponte. Todo o material pesado da Empresa, estava a chegar de barco à vela, via Vala Nova, tanto a Benavente, como Salvaterra de Magos, de onde era carregado em camionetas da Empresa Irmãos David de Benavente.

A Empresa para onde eu viria trabalhar, a RARET, estava cá há poucas semanas e só conseguiu arranjar hospedaria e alimentação para a rapaziada, em Salvaterra de Magos, na Rosa Grilo, que dista uns 6 Km de Benavente e todos os dias tínhamos de andar este trajecto de "jeep", 4 vezes por dia.

Lisboa ficava muito distante... pelo que os fins de semana eram passados a ver as terras e as pessoas, pelo que rapidamente nos fomos dando com as gentes novas das terras, especialmente as suas lindas garotas, que gulosamente nos olhavam envergonhadas, e assim aconteceu em Salvaterra, um certo dia em que uns jovens como eu, me perguntaram se eu gostaria de ir dar um passeio a cavalo.

Realmente, eu havia entrado no Ribatejo, pela "porta do cavalo"...

Benavente dessa altura, tinha quanto muito, 3 ou 4 automóveis e as pessoas andavam todas avontade pelo meio das ruas, sem a mais pequena preocupação com o trânsito, até porque nestas alturas, o que se via, eram charretes e malta a cavalo ou a pé.

Não me fiz rogado, embora de cavalos não tivesse experiência nenhuma, mas lá fui, e me deram um belo cavalo para montar. Assim, passados poucos minutos, já íamos todos em cortejo, a passo, sair da vila de Salvaterra, para a lezíria, ali mesmo ao lado, nos terrenos do Conde Monte Real. Mal sabia eu o que me esperava, pois mal eles lá se apanharam, começaram a galopar à bruta e o meu cavalo, sem que eu fizesse nada, seguia-os também na sua louca desfilada.

Aquilo era tenebroso, porque em cima daquela "montanha" de carne, eu via o chão lá muito em baixo e, quando me ia assentar, levava um pontapé no rabo e aquilo estava mesmo feio, porque não conseguia sincronizar o meu rabo, com o sobe e desce da garupa do animal, chegando a ver-me abraçado ao seu pescoço, para não cair dele abaixo ! Assim, resolvi afastar o rabo do selim, como fazem os "cowboys", e lá me deixei eu ir atrás daquela malta que fez de tudo para me ver cair da minha montada, fazendo curvas muito apertadas que o meu cavalo repetia, quase atirando comigo "borda fora"...se eu não estivesse bem agarrado...e talvez até, a meter as esporas...sei lá...

Os animais já espumavam por todos os lados, quando eles reconheceram a minha "habilidade" para montar sem cair...e lá fomos deixar os animais descansar na cavalariça, tendo-me eu apeado todo a tremer e até me dava a impressão de que tinha ficado com as pernas arqueadas de tanto as apertar na barriga do animal....


Igreja de Benavente

Mas em Agosto desse ano, nas festas religiosas de Benavente, da Senhora da Paz, e tendo conhecido um jovem de Benavente que se chamava José Pedro Neto, infelizmente já falecido, filho dum grande lavrador da terra, o Sr. Xico Neto, ele me convidou para ir dar uma volta a cavalo pela Vila e para "abrilhantar" o meu aspecto, resolveu vestir-me o seu fato cinzento de lavrador, incluindo chapéu preto masantino e botas com esporas...

Como tínhamos fisicamente, muita parecença, 1,75m de altura e magros, eu até estava "bonito" dentro daquela "farda". Assim belamente vestido, ele deu ordem ao maioral que me arranjasse um cavalo e assim lá vou eu a atravessar a Vila, passando à porta da casa do Dr. Sousa Dias e fui até ao Calvário, passando pela rua dos Correios, que fica no fim da vila, tendo depois ido descer a rampa que passa junto da fonte de S.Antonio, sempre a passo, onde parei para cumprimentar uns fabianos que me estavam a barrar o caminho e me saudaram alegremente.

" Isso é que é sorte...oh sr. Portugal...isso não é para qualquer um..."


Eu até parecia alguém importante !

Mas na despedida, um deles deu uma palmada forte na garupa do cavalo que não achou graça nenhuma e arranca numa correria infernal para Rua Luiz de Camões acima, e que acaba mesmo em frente à loja do Sr. Castelo, pelo que eu, na impossibilidade de fazer parar o malvado cavalo, já me estava mesmo a ver ir parar dentro da loja, em cima ou por baixo do cavalo...

Eu nem sabia se ia a trote se a galope...

Aquilo estava mesmo feio, porque a estrada era muito escorregadia de pedra, e àquele velocidade, o cavalo não se conseguiria manter em pé, mas como a sua tendência, era ir para a rua de onde tínhamos vindo, a do seu curral, foi por aí que ele tentou meter-se, mas como estava apinhada de gente, toda aos gritos "fujam, fujam, ele vai cair..." -e eu a puxar pela rédeas, enquanto agarrava o chapéu que queria levantar voo, o cavalo pôs-se em pé a relinchar, enquanto toda a malta se afastava e assim, quando ele viu que já podia pôr as 4 patas no chão, continua na sua louca correria a caminho do seu estábulo, voltando a passar em frente à casa do Dr.Sousa dias, e depois o cemitério, onde só não parti a cabeça à entrada, porque me baixei até ficar com a minha cara, ao lado do focinho do cavalo...que se devia estar a rir...

E lá parou o animal, certamente muito espantado com as manobras que eu havia tentado pedir-lhe e que ele acharia, por certo, muito impróprias... de um cavaleiro decente... e tinha razão...

Mas isto não ficou por aqui, pois uns dias depois, vêem-me bater à porta umas pessoas da festa, a pedir-me para eu ir tourear na velha e desconjuntada praça de touros que cá havia.

Eu fiquei petrificado e logo lhes disse: "Nem pensem, eu não entendo nadinha de cavalos nem de toureio", mas eles logo me avançaram que eu estaria a ser muito modesto, pois me haviam visto uns dias antes, no largo fronteiro à igreja, dominar de tal forma um cavalo, que eu teria de ser um grande cavaleiro, a pessoa indicada para o toureio...

Bem que eu lhes explicava que tinha sido a segunda vez na minha vida, que tinha andado a cavalo e que não havia caído dele abaixo, porque isso seria a única coisa que eu não queria, de todo, que me acontecesse, pois nem um osso ficaria inteiro...especialmente porque o largo era todo de pedra...além de que não queria devolver ao José Pedro Neto, o fato todo rasgado e sujo...aparte os meus ossos que certamente por ali ficariam todos espalhados...

Assim se foi o comitiva da festa, muito chateada, por não me terem conseguido convencer a entrar a cavalo na praça de touros.... Olha eu, que de touros, só aos bocados e dentro do prato, a ver-me ali num espaço tão pequeno e sem ter prática alguma de tourear a cavalo....Ia ser bonito !!! Pobre do cavalo e de mim !!!

5 comentários:

Anónimo disse...

Encontrei o seu blog por acaso,parabéns, gosto de tudo o que conta. Queria comentar algo acerca da RARET, tenho um familiar que trabalhou lá, assisti a uma festa de Natal que me marcou e que ainda hoje lembro com todo o pormenor, como menina pobre aquilo tudo era deslumbrante, uma vila dentro daqueles portões.Isto para lhe comentar, passei lá depois de muito tempo, e tudo está destruído. Maria

Escrito por: Anónimo em 2007/11/08 - 11:36:24

Anónimo disse...

Boas encontrei o seu blog porque ando a fazer um trabalho sobre os Sanatórios do Caramulo. Gostava de poder falar consigo um dia para poder ouvir umas historias daquele lugar. Um abraço e contacte-me se poder. Sou estudante de fotografia e estou a preparar um projecto:

Renato Silva / Mail: avlis.otaner@gmail.com

Escrito por: Anónimo em 2007/12/04 - 20:21:33

Anónimo disse...

Dessa veia de cavaleiro eu não sabia, mas também já nada me admira vindo de si.Já agora um pedido:Coloque uma letra ligeiramente maior no blog ou quer mesmo que eu fique pior da viata. Um abraço de amizade. ct2fvf

Escrito por: Anónimo em 2007/12/20 - 20:28:05

somebody disse...

酒店經紀人,

菲梵酒店經紀,

酒店經紀,

禮服酒店上班,

酒店小姐,

便服酒店經紀,

酒店打工,

酒店寒假打工,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工經紀,

制服酒店經紀,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工,

制服酒店經紀,

I LOVE YOU disse...

性愛自拍,美女寫真,亂倫,戀愛ING,免費視訊聊天,視訊聊天,成人短片,美女交友,美女遊戲,18禁,三級片,自拍,後宮電影院,85cc,免費影片,線上遊戲,色情遊戲,日本a片,美女,成人圖片區,avdvd,色情遊戲,情色貼圖,女優,偷拍,情色視訊,愛情小說,85cc成人片,成人貼圖站,成人論壇,080聊天室,080苗栗人聊天室,免費a片,視訊美女,視訊做愛,免費視訊,伊莉討論區,sogo論壇,台灣論壇,plus論壇,維克斯論壇,情色論壇,性感影片,走光,色遊戲,情色自拍,kk俱樂部,好玩遊戲,免費遊戲,貼圖區,好玩遊戲區,中部人聊天室,情色視訊聊天室,聊天室ut,成人遊戲,免費成人影片,成人光碟,ut聊天室