terça-feira, 15 de janeiro de 2008

PORTUGUÊS de Cravo e Ferradura

A REVOLUÇÃO DA LINGUA PORTUGUESA

Esta tremenda revolução na língua portuguesa, que já está em funcionamento desde Janeiro de 2008, vem colocar os idosos portugueses, entre a espada e a parede, em especial para os mais idosos !
Levámos 80 anos a aprender a escrever a nossa língua, depois da revolução de 1900, (?) desde aquela exigência de alterar a ortografia mais ou menos afrancesada, como o escrever Farmácia sem o PH , methodo, excellente, physiologia, extractos, e milhões de outras palavras...
O novo tratado, por causa dos nossos irmãos brasileiros acharem que era mais fácil escrever retirando várias letras que não se pronunciavam, veio provocar um abalo tremendo na nossa forma de escrever o português de Portugal, o ORIGINAL.

« Embora já existam cavalos e outros quadrúpedes para "calçar", (ferrar) há muitos milhares de anos, talvez não venha a despropósito, falar de "cravos" e "ferraduras", antes de entrar nesta crónica, até porque é provável que muita gente nunca tenha visto um potente animal a ser ferrado...

O Ferrador, tinha de ser um indivíduo bastante forte e dotado de muita habilidade, para segurar a pata do animal entre as pernas, enquanto "alindava" o aspecto do "casco" (unha) à lima, e tinha de ter as duas mãos livres...e tinha de ir fazer à forja, uma ferradura ao tamanho do casco e fazer-lhe uma data de furos cónicos, com o ferro em brasa, e ir experimentando no casco do animal, até acertar a ferradura que, como é natural, não podia ser nem mais pequena do que o casco no animal, nem maior.

Depois vinham os cravos, uma espécie de pregos cónicos que tinham de ser enfiados um a um, de forma a entrarem pelo casco, como se fossem a nossas unhas, e saindo pelo lado, onde as pontas eram reviradas.

E tinha de fazer esta operação nas quatro patas do animal, trabalho que tinha de ser feito rapidamente, dado haver outros animais à espera e para que eles não ficassem extremamente nervosos e impossíveis de se deixarem ferrar.

Com o advento da electricidade, em 1880, e das pilhas, houve até quem experimentasse com sucesso, meter na boca dos cavalos mais rebeldes, os fios dum gerador de choques, durante uns segundos, tendo verificado que os animais ficavam como anestesiados e muito calmos. Depois, o técnico dos choques podia parar a máquina de choques, mas tinha de se lá deixar ficar à frente do cavalo, muito quieto, para dar a entender ao animal, que ainda estava a receber os choques na boca...

Quando eu vim viver para o Ribatejo, em 1951, os cavalos eram aos milhares e todos os dias os dois Ferradores aqui existentes, tinham até trabalho demais !
Mas um dia, eu fui assistir, por curiosidade, àquele trabalho e até fiquei a admirar aqueles Ferradores que, todos os dias tinham de fazer aquele penoso trabalho, pois não só os animais não gostavam de ser ver só com 3 patas no chão, mas de cada martelada que o ferrador lhe dava, para ir cravando os cravos, os animais respondiam encolhendo a pata, e levando atrás o desgraçado do ferrador que a tinha bem apertada entre as pernas...
Era pois necessária muita habilidade para conseguir acertar nos cravos e muitas vezes, o martelo acertava era na ferradura.
Foi devido a esta situação de uma vezes se acertar no cravo e outras na ferradura, que intitulei esta crónica, como "Português, de cravo e ferradura".

Assim, sempre que qualquer pessoa falhava nos seus intentos, o povo se habituou a dizer: dás umas no cravo e outras na ferradura, ou quando se teimava insistir numa ideia, mas às tantas, se mudava 180 graus para o lado oposto, era a mesma coisa. Quando alguém muda de opinião, é a mesma coisa...

Isto é o que vai acontecer agora, e durante muitos anos, talvez mais de 50, até que todos os portugueses que aprenderam a escrever de uma certa forma, se vão ver na eminência de acertar "uma no cravo e outra na ferradura", quando desejarem escrever , por exemplo "acção", ou "reacção", ou "colecção", ou "objectivo" como sempre escreveram, e desejarem acompanhar a Revolução ortográfica do Tratado, pois inevitavelmente irão escrever "à antiga", até se habituarem à nova forma de "ação", reação" ou "coleção" ou "objetivo"...
Para o português de Portugal, estas palavras soam como notas desafinadas, falsas, como "a ção", ou "rea ção" ou "cole ção", "obje tivo", porque aquele "c" servia para ABRIR a vogal, que agora vai ficar fechada...
E como são aos milhares, as pessoas mais idosas, vão morrer sem conseguirem escrever à nova moda, à " moda dos muitos milhões de brasileira "...

Eu sou um deles, desses velhos do antigamente e como gosto muito de escrever, é certo e sabido que vou dar muitas mais "marteladas" na ferradura, do que no "cravo" e quantas vezes me irei perguntar se está bem ou mal o que escrevo ? Vou passar a ter vergonha de mim mesmo, sempre com a impressão de que me vão chamar de ignorante, ou analfabeto... ou talvez "analfabruto", como se diz aqui na gíria popular....

Talvez que os meus leitores, já habituados à minha forma de escrita, me perdoem os deslizes e até me convidem a escrever "à antiga" ou " à moderna"...mas isto faz doer, demais, a alma, de quem sente orgulho na sua língua Mãe !
Claro que tenho sempre a opção de deixar de escrever e editar, mas também isso me faz doer a alma... quando sinto que ainda tenho tanta coisa para contar...ou comentar...ou descrever...
Também é certo que os correctores (ou será agora corretores ?...) estarão à disposição de quem escreve nos PC's , mas se não existirem, lá se fica com o escrito todo cheio de sublinhados encarnados, a nos chamarem a atenção de que já não é assim que se escreve...que somos "analfabrutos"...
Vamos ter de estar constantemente a folhear o Prontuário de Ortografia à brasileira, e enquanto isso se estiver a fazer, lá se vai a ideia do que se estava a escrever...

E tudo o que se escreveu de 1900 para cá, está errado, ortograficamente...faz doer...

Talvez que os nossos leitores brasileiros, que sempre foram tão simpáticos e gentis, nos seus comentários, até nos cheguem a dizer: escreva de qualquer forma, que a gente perdoa...e entende...
Mas é interessante verificar que isto só acontece em Portugal, pois nem os franceses nem os ingleses, nem outros, mudaram nada às suas raízes. Quem desejar que altere, mas nunca a língua Mãe...
Uma grande parte dos portugueses, já de idade avançada, como eu, até chegam a jurar que nunca irão mudar de ortografia... e alguns foram professores da sua amada língua portuguesa !

Isto me faz lembrar se algum iluminado ou iluminados, por verem que era difícil tocar músicas de todos os compositores musicais, como Beethoven, Chaminade, Grieg, Chopin, Mendelssohn, Debussy, Schumann, etc, se lembrassem de retirar algumas notas ! Ia ser o bom e o bonito ! E o que pensariam esses compositores, se pudessem ouvir as suas músicas tão mal-tratadas ? (ou será mal tratadas, ou maltratadas ?)
Felizmente que isso nunca passou pela cabeça de ninguém e, ainda bem !

Mas lá que vai ser uma grande confusão... isso vai...

23 comentários:

Anónimo disse...

Pois é amigo Mário, o que me faz e devia fazer a todos doer é, porque carga de água o português original, genuino, terá que andar a trote dum pseudo português chamado de "português do Brasil...".
Hironias do destino, mas sempre direi que os cosinhados que se fazem para o mal feito, deveriam ser e bem punidos.
Mas como estamos neste portugal de pequeninos mas grandes palhaços, tudo se passa e ninguém paga pelos erros crassos.
Enfim, como diria o outro, "É A VIDA...", pobre vida digo eu.
e aí eu só quero desejar um óptimo fim de semana.

Escrito por: paraquedista em 2008/01/27 - 02:25:39

Mário Portugal Leça Faria disse...

Para conhecimento de todos os leitores, publica-se abaixo os 2 comentários publicados no site brasileiro Lima Coelho "http://www.limacoelho.jor.br/vitrine/ler.php?id=1048" a propósito deste post "Português de cravo e ferradura"

Anónimo disse...

E então Mário, se preparando para a grande revolução linguística? Gostei de suas reflexões
Comentário Enviado Por: Manoel Costa
Em: 26/1/2008

Anónimo disse...

A língua une Brasil e Portugal, mas a ortografia não. Até o início do século XX, os dois países seguiam uma norma escrita complicada, que buscava a raiz latina ou grega para escrever cada palavra, como “pharmácia” e “estylo”.
............
LEIA:

Português: Ferramenta indispensável
Apenas 26% dos adultos são plenamente alfabetizados, mas falar e escrever bem é crucial para progredir na vida
www.terra.com.br/istoe/
Comentário Enviado Por: Marcelo Torres
Em: 26/1/2008

Anónimo disse...

Oi Mário, entender sua spreocupações eu entendo, mas se acalme. Acaba dando certo
Comentário Enviado Por: Maria das Graças Dourado
Em: 26/1/2008

Anónimo disse...

Muito bem Mário. São preocupações procedentes, mas a gente dará conta sim de processar as novidades
Comentário Enviado Por: Terezinha Ribeiro Nunes
Em: 25/1/2008

Anónimo disse...

Uma alegria ler suas crônicas Mário
Comentário Enviado Por: Letícia Martins
Em: 25/1/2008

Anónimo disse...

Achei bem legais suas reflexão Mário
Comentário Enviado Por: Regina Ferreira
Em: 24/1/2008

Anónimo disse...

Oi Mário, não deixa de ter razão, mas vá vivendo a vida
Comentário Enviado Por: Márcia Lopes
Em: 22/1/2008

Anónimo disse...

Beleza de reflexões, Mário. mas se acalme, tudo isso exige um tempo pra gente se acostumar
Comentário Enviado Por: Raimunda Ribeiro Lopes
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Oi Mário, boas reflexões
Comentário Enviado Por: Kátia Simões
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Oi Mário, que maravilha de crônica!!!
Comentário Enviado Por: Mara da Silva e Souza
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Valeu Mário
Comentário Enviado Por: Raquel Brindeiro
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Gostei muito Mário. Parabéns
Comentário Enviado Por: Carolina Costa
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Mário, valeu a reflexão
Comentário Enviado Por: Ingrid Melo
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Eu te entendo Mário. Ma snão sofra tanto. Claro que vamos, nós, os brasileiros, entender o que escreves depois da reforma
Comentário Enviado Por: Inês Campelo
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Caro Mário, considero suas preocupações justas, mas veja pelo lado mais positivo
Comentário Enviado Por: Jonas Ramalho
Em: 21/1/2008

Anónimo disse...

Olá Mário, gostei dos teus argumentos. Até os entendo, mas a língua evolui meu amigo. E evoluir não quer dizer se acabar.
Comentário Enviado Por: Daniela Vieira Bacelar
Em: 20/1/2008

Anónimo disse...

Mário, se acalme. Nada como o tempo.
Comentário Enviado Por: Mariana Rodrigues
Em: 20/1/2008

Anónimo disse...

Oi Mário, se acalme, o novo sempre preocupa, mas não vejo motivos para sua aflição
Comentário Enviado Por: Natália da Silva
Em: 20/1/2008

Anónimo disse...

Muito pertinentes tuas preocupações caro Mário, mas o mundo gira. Não entendo que a modernização/simplificação de uma língua acabe com ela. O português falado e escrito no Brasil em nada degrada a língua portuguesa. Pelo contrário, a enriquece
Comentário Enviado Por: Fabiana Lisboa
Em: 20/1/2008

Anónimo disse...

Pois é Mário, assim será
Comentário Enviado Por: Carla Kim
Em: 20/1/2008

somebody disse...

酒店經紀人,

菲梵酒店經紀,

酒店經紀,

禮服酒店上班,

酒店小姐,

便服酒店經紀,

酒店打工,

酒店寒假打工,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工經紀,

制服酒店經紀,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工,

制服酒店經紀,