quarta-feira, 17 de junho de 2009

E NASCEU UM ROBOT DE NOME MIGUEL


Há mais de 30 anos, ainda os meus filhos eram garotos, e agora já estão todos com mais de 50 anos, um dia me apareceram em casa, e me traziam dois motores eléctricos de subir e descer os vidros de algum automóvel e a perguntar-me se aquilo teria alguma utilidade, para os meus engenhos. Uma coisa que sempre me apaixonou, foi descobrir utilidades diferentes para material considerado "sucata" e logo pensei em construir um "brinquedo" qualquer e dar-lhe movimento. Para dizer com franqueza, esta paixão de engenhar ou engenhocar coisas, daí o ENGENHOCANDO, nasceu e cresceu comigo... Como eu só poderia usá-los, em forma de um robot, para lhe dar aspecto humanoide, disse à rapaziada que teria de usar latas de óleo vazias e logo se prontificaram para as ir descobrir. Passada uma hora, já aqui tinha uma data de latas de litro, para os braços, outras tantas de galão para as pernas, uma de 50 litros para a barriga, e uma de 10 litros, de tinta, para a cabeça. Como estavam todos muito entusiasmados, pú-los a soldar as latas umas às outras, e como ficou com dois metros de altura, como um dos jovens, era muito grande, e se chamava Miguel, logo o baptizaram por este nome. Para os ver contentes, comecei logo a estudar a forma de por os motores em funcionamento, levantando e baixando os braços intermitentemente, abri-lhe uma grande bocarra, coloquei dois farolins verdes a fazer de olhos, mas aquilo estava muito morto...ou seja, faltava-me as palmadas para o ver "nascer"... Assim, com a ajuda de vário material de electrónica, lá usei um velho e pequeno gravador de fita magnética, um altifalante, e um sistema mecânico que lhe pusesse a bocarra a abrir e fechar, além dos olhos a piscar em verde. Para proteger da chuva, construi-lhe um chapéu metálico, tipo Tailandês. Assim, já tinha outra graça, embora não servisse para nada, a não ser para entreter as imensas crianças que me começaram a aparecer, em caravana, todas acompanhadas das suas monitoras, logo que se constou aqui na terra, que havia cá um robot que até falava.. e gesticulava. «Eu sou o robot de ferro e lata, mas não sirvo para nada...» Como aquilo era alimentado por uma bateria de automóvel e tinha um elevado consumo, acabou por ficar abandonado a um canto da garagem.
Mas um certo dia, anos mais tarde, estava eu a transmitir e receber TV pelo meu rádio, para qualquer parte do Mundo, novo sistema de rádio nessa altura e conhecido por SSTV, quando vejo aparecer a chamar-me, um colega da Suiça e mostrava no seu cartão de visita, (QSL) um robot enorme ! Mas não era feito de latas e latinhas... Aquilo estava feito a plástico e também era com uns 2 metros de altura ! De imediato arrancámos a falar sobre aquele interessante projecto, mas que o suiço havia mostrado numa exposição e o entusiasmo havia sido tal, que teve de continuar a vida, a construí-los cada vez mais complexos e já assistidos por electrónica com muita informática e espalhados por todo o Mundo.


Nessa altura, eu já havia construído um braço-robot que era comandado por um microprocessador, só por curiosidade e até era muito giro de programar e ver funcionar sozinho, embora também não servisse para nada.
Ele podia rodar, levantar o braço, agarrar qualquer coisa, e ir largá-la onde se desejasse.



Fiquei marado, até porque eu já dominava muitas coisas de informática e mecânica, mas como nunca estive ligado à agricultura, o assunto ficou ali parado, anos e anos.


O meu amigo Prof. Nogueira, do blog wwwnovas.blogspot.com, está aqui "de conversa" com o segundo robot, o Miguel.



Os anos rodaram e aparece a Internet e os Blogs. Assim, vai de abrir um Blog e começar a descrever imensos assuntos e experiências da minha vida, até que fui informado de que havia um blog duma senhora portuguesa, lá para os lados de Viseu, de nome Ana Ramon, e que falava de meu assassinado irmão, Carlos Mar Bettencourt Faria, dono e construtor do Observatório da Mulemba, que havia conhecido ainda em solteira, com muito carinho. De imediato dei lá um salto ao blog e me apresentei. Ela nem sabia da minha existência... Tratava-se do http://www.apaixaodossentidos.blogspot.com/ .





(Aqui está ela na sua visita a Benavente, ha poucos dias)






De imediato, ela respondeu e nunca mais deixámos de contactar quase diariamente. É raro o dia em que ela não me conte novidades das suas experiências, sempre descritas de forma imponente ! É uma mulher extraordinária, de habilidade e curiosidade científica ! É uma mulher RARA ! Foi aí que ela me falou dos seus problemas com os bandos de pássaros, os corvos, que lhe faziam enormes prejuízos na agricultura e eu me lembrei do velho robot "Miguel", que lhe poderia oferecer, mas ele não estava em condições de ficar à chuva, vento, e Sol . Mas ela se mostrou imensamente interessada em o comprar...e que eu dissesse quanto custava. Obviamente que seria uma simples oferta, mas que vivendo ela a mais de 300 Km da minha vila, ela teria de arranjar forma de o vir buscar. Claro que quase tudo havia de ser alterado, porque até a tecnologia se havia alterado imenso e já se podia gravar e reproduzir som, sem fita magnética (digitalmente) e vai de pensar em executar as alterações necessárias, para que ele pudesse durar muitos meses. Mas será que dura ? Mas não era só o Miguel que estava velho...eu também e as alterações a fazer, demoraram muito mais tempo do que eu queria, mas finalmente, ela com o marido e um filho, cá vieram para o transportar. Assim, ele já está na sua quinta, e provavelmente, ela se referirá ao seu uso e comportamento, nalguma crónica do seu magnífico blog. Mas tenho pena de só agora, em que tão pouco tempo tenho de vida, já não poder recomeçar este projecto de novo, para lhe aplicar tantas e tantas ideias que tenho na cabeça...


video

3 comentários:

J. NOGUEIRA disse...

Com votos de saúde para fazer mais coisas engraçadas e muito obrigado por ter publicado a minha foto a falar com o Miguel que agora é da Ana.

Ana Ramon disse...

E o robot lá está a aguardar o amadurecimento das maçarocas para depois ir trabalhar para o campo a espantar a passarada. Vamos a ver se se porta bem
Um grande beijinho e mais uma vez muito obrigada

Joaquim Nogueira disse...

Amigo Mário : Todos os dias visito este seu espaço na esperança de ler outro tema. Se há assunto para a QSP também deve haver para aqui .Um abraço